Quem batiza os países?

› 23 de março de 2011

Quem batiza os países?

(Atenção: este blog foi aposentado. No lugar dele, surgiu o Gabriel Quer Viajar. Vá lá. É muito mais bonito e tal.)

Mesmo que ainda não seja 100% certo que eu consiga ir para a Colômbia, resolvi pesquisar a origem do nome do país e descobri que existe um bafão histórico por trás deste batizado.

Acompanhe a lama.

Colombo chegando - Wikimedia Commons

Qualquer criança sabe que a América foi descoberta pelo navegador genovês Cristóvão Colombo (esse aí em cima e embaixo). Mas você já se perguntou por que o continente tem este nome e não o nome “Colômbia”, em homenagem ao seu descobridor?

Cristóvão Colombo - Wikimedia Commons

Aí é que está o perrengue.

Após a descoberta do Novo Mundo, o navegador florentino Américo Vespúcio apareceu por aqui e fez algumas explorações. Voltou para a Europa e passou suas anotações para que copistas os reproduzissem.

Américo Vespúcio - Wikimedia Commons

Eles fizeram isso e, um ano depois da morte de Colombo, publicaram o livro Quattuor Americi navigationes (Quatro Viagens de Américo), com mapas desenhados pelo alemão Martin Waldseemüller, baseados nas anotações do italiano.

O mapa desenhado por Martin Waldseemüller - Wikimedia Commons

A publicação fez muito sucesso na Europa justamente pela beleza destes mapas, que (tcha-rãn!) levavam a inscrição “América” (ou “terra de Américo”) na sua margem.

Assim que tomaram conhecimento do erro, os espanhois (os patrocinadores da viagem de Colombo) ficaram possessos e protestaram, mas não adiantou.

O alemão Martin Waldseemüller até se deu conta do erro e tirou o nome “América” das edições seguintes, mas era tarde demais. O sucesso fez com que fosse impossível separar o nome de Américo Vespúcio do Novo Mundo. E assim ficou.

E o nome da Colômbia?

Simón Bolívar - Wikimedia Commons

Bem, foi uma homenagem do militar Simón Bolívar, o venezuelano que liderou a independência da região. Sua ideia era justamente reparar o erro histórico que aconteceu com Cristóvão Colombo ao não ter seu nome dado ao continente.

Climão, hein?

UPDATE! Me dei conta: já pensou que, se não tivesse acontecido essa bagunça, os EUA poderiam ser os EUC - Estados Unidos da Colômbia?

- Gabriel Prehn Britto
4 comentários
› 30 de novembro de 2010

Quem Batiza os Países?

(Atenção: este blog foi aposentado. No lugar dele, surgiu o Gabriel Quer Viajar. Vá lá. É muito mais bonito e tal.)

Essa é para os colorados que estão de malas prontas para os Emirados Árabes: de onde vem esse nome?

EAU

Segundo o meu Corão de nomes de países, no século VI, o território da ponta da península arábica era tomado de oásis com povos, culturas e dialetos diferentes.

Daí rolou um monte de borogodós com os portugueses, o Império Otomano e o Reino Unido e, um dia, uma espécie de assembléia internacional decidiu que todos os emirados daquela região (a saber: Abu Dhabi, Ajman, Al Fujayrah, Sharjah, Dubai, Ra’s al Khaymah e Umm al Qaywayn) formariam uma única federação, governada por um conselho de representantes.

Photo by woody1778a (cc - Flickr)

O nome nasceu desta junção dos sete emirados, uma palavra árabe derivada de “emir”, ou “comandante”/“príncipe”, usada para designar um governador de província ou alto oficial militar.

Já o “árabe”, lógico, vem do povo da península e deriva de “I’rab”, que significa “aqueles que falam claro”. Essa era a maneira dos árabes diferenciarem quem falava a sua língua e quem não falava. Ou seja: quem era árabe e quem não era.

EAU

Em resumo: Emirados Árabes Unidos significa “Principados unidos que falam a mesma língua”.

Ou algo assim.

- Gabriel Prehn Britto
2 comentários