O Que Eu Fiz Nas Ferias

Servindo bem para servir sempre

(Atenção: este blog foi aposentado. No lugar dele, surgiu o Gabriel Quer Viajar. Vá lá. É muito mais bonito e tal.)

E-mail que recebi de uma amiga que chegou em Praga sem guia:

Letná. Perfeito com cerveja.

Data: Tue, 27 Oct 2009 08:48:53 -0300

Oi Gab, tudo bem?

Quero te dizer que as tuas dicas de viagem foram excelentes. Fiquei 3 dias em Praga e todos os dias acessava o teu site para pegar algumas dicas.

Preciso te agradecer especialmente por 3 delas que foram fundamentais:

- Ponte Carlos pela manhã bem cedo. Não fui tirar fotos. Fui correr. Sem mochila, sem máquina fotográfica, sem passaporte e sem os turistas.

- Restaurante Lehká Hlava: cheguei a ir 2 vezes. Fiquei uma noite no Hotel Leonardo que era muito perto.

- Parque Letná: fui numa sexta feira, num fim de tarde de um dia ensolarado. Tomei uma cerveja (apesar de não ser a minha bebida predileta) e sentei naqueles bancos com uma vista maravilhosa.

Falamos outra hora para contarmos sobre a nossa viagem e, se possível, retribuirmos as dicas.

Bj pra ti e pra Marcia

Gabi

Ponte Carlos no nascer do sol. Imperdível.

Aeroportos

O Homem Terminal

(Atenção: este blog foi aposentado. No lugar dele, surgiu o Gabriel Quer Viajar. Vá lá. É muito mais bonito e tal.)

Ainda estou tentando descobrir razões decentes para esta “aventura” do Homem Terminal, um jornalista que vai passar 25 dias morando nos aeroportos brasileiros. Mesmo assim, achei bom divulgar porque pode ter dicas interessantes para viajantes.

A dica de que não se pode dormir no Santos Dumont é uma.

O Santos Dumont não é hotel

Burocracia

Baby you can drive my car

(Atenção: este blog foi aposentado. No lugar dele, surgiu o Gabriel Quer Viajar. Vá lá. É muito mais bonito e tal.)

O G1 fez um guia bem bom para quem quer dirigir no exterior, seja um carro alugado, seja o seu próprio.

Baby you can drive my car

Mais informações direto lá.

Asia

Bangcoc 40 graus

(Atenção: este blog foi aposentado. No lugar dele, surgiu o Gabriel Quer Viajar. Vá lá. É muito mais bonito e tal.)

Vai derreter...

Ontem, dando uma olhada no meu velho Blue List 2008, do Lonely Planet, descobri que Bangcoc é considerada a cidade mais quente do mundo, segundo a World Meteorological Organization.

A temperatura média anual na capital tailandesa é de 28 graus. Mais: março, abril e maio são os piores meses, com temperatura média de 34 graus e humidade de 90%.

Tem que ser zen para viver nesse calor

Só para lembrar: eu estive lá entre os dias 05 e 08 de abril. O pico do pico, portanto.

Não recomendo a ninguém fazer o mesmo.

Europa

Auschwitz no Facebook

(Atenção: este blog foi aposentado. No lugar dele, surgiu o Gabriel Quer Viajar. Vá lá. É muito mais bonito e tal.)

Semana passada, o Memorial de Auschwitz lançou a sua página no Facebook. Admito que no início me soou estranho, mas depois concordei que era uma bela iniciativa.

Facebook

Segundo o porta-voz do Memorial, Pawel Sawicki, a página é uma experiência da instituição, que quer se aproximar dos jovens para fazer o que sempre fez: manter a memória do holocausto viva e discutir o que aconteceu lá.

Como já disse aqui, estive em Auschwitz duas vezes e acho que todo mundo deveria visitar aquele lugar (veja as dicas abaixo). Mas preciso avisar a quem se interessar: a experiência é fortíssima.

————————————

AUSCHWITZ, POLÔNIA

O Memorial de Auschwitz fica aberto o ano inteiro (exceto 1o de janeiro, 25 de dezembro e domingo de Páscoa) e a entrada é gratuita. O serviço de guias dentro do campo é pago, mas vale o investimento. É recomendado que você reserve pelo menos 3 horas por lá. Veja mais informações no site do Memorial.

Entrada de Auschwitz (Foto: brunoat - Flickr)

A forma mais conhecida de chegar em Auschwitz é em uma visita a Cracóvia, na Polônia. O antigo campo de concentração fica a 70 km da cidade, em Oświęcim (nem tente pronunciar isso), mas é muito fácil fazer este trajeto.

Ali embaixo, ó

O site do Memorial dá as dicas para quem quiser ir de carro ou trem, com direito a coordenadas para quem tem GPS. Mas para os preguiçosos e acomodados como eu, a dica é comprar um tour em Cracóvia (existem muitos). Nas duas vezes em que fui, usei os serviços da Cracow Tours, que podiam ser comprados nos quiosques que eles mantinham em locais turísticos da cidade. Acredito que deva continuar assim, mas não custa dar uma conferida no site da companhia antes de se jogar e colocar a culpa em mim.

Chegar em Cracóvia também é muito fácil, já que ela é uma cidade importante da Polônia. Você pode ir de carro ou de avião (aterrisando no aeroporto João Paulo II), mas eu fui e indico a viagem de trem desde Praga. Ela pode ser feita em um trem noturno que parte da capital tcheca e chega lá depois de umas 8 horas de viagem (por volta das 6h30 da manhã). Se você não for besta e comprar uma passagem nos vagões com camas, é uma viagem ótima.

A basílica de Santa Maria, em Cracóvia (Foto: david.bank - Flickr)

Recomendo essa viagem noturna por um motivo simples: Cracóvia é pequena e pode ser visitada em um dia. Chegando lá às 6h30 da manhã, dá tempo de passear pelo centro, comprar seu tour para Auschwitz, visitar o campo de concentração, voltar para Cracóvia e ainda passar algumas horas caminhando na beira do Vistula e visitando o castelo Wavel, antes de pegar outro trem noturno para onde você quiser. Claro que se você puder passar mais um dia na cidade, legal. Mas se as férias forem corridas, don’t worry.

O Wavel e o Vistula (Foto: smif - Flickr)

Ultima dica importante: se você não for um católico fervoroso, não faça a mesma besteira que eu e não vá para Cracóvia no feriado de Páscoa. Você corre o risco de ter que passar o dia inteiro comendo no McDonald’s, o único lugar aberto na cidade nesse feriado.

UPDATE: A Adriana Miller, do DriEverywhere, esteve por lá recentemente e fez um post muito bom para quem quer conhecer melhor Auschwitz antes de decidir se vai ou não. Recomendo.

Cias. Aéreas

Promoção Presentão de Viagem

(Atenção: este blog foi aposentado. No lugar dele, surgiu o Gabriel Quer Viajar. Vá lá. É muito mais bonito e tal.)

Estou participando da promoção KLM: 90 Anos de Inspiração. Em um resumo rápido, ela pede que os participantes coloquem fotos, no Facebook ou no Flickr, que respondam à pergunta:

“O QUE INSPIRA SUA JORNADA?”

Pois bem, publiquei essa foto aí, que gosto muito e que acho que mais combina com o pedido pela KLM. E agora preciso do seu voto para que ela passe para a segunda fase.

Velhinhos tchecos babando por sua capital em um domingão de sol e calor, no parque Letná

Para votar é fácil, mas é preciso ter conta no Flickr. Se você já tem, basta clicar aqui, fazer o log in e deixar um comentário positivo na foto.

Se você não tem e quer muito me ajudar, clique aqui e faça o seu cadastro. Depois clique aqui e deixe seu comentário.

Eu já agradeceria imensamente cada voto recebido, mas para estimular os meus nobres e queridos eleitores, achei legal criar um estímulo extra. Uma promoção dentro da promoção.

Como o prêmio é uma passagem para o destino que eu escolher (entre uma seleção feita pela KLM) me comprometo a trazer um presente muito, muito, muito legal para o melhor comentário feito na minha foto.

Sério, juro: trarei um presente sensacional, escolhido com imenso carinho, compaixão, amor, queridice e qualquer outro sentimento positivo que você conseguir inventar.

Isso, claro, se eu ganhar o concurso.

Se eu não ganhar, fica meu agradecimento eterno a todos vocês.

Vai , então.

Obrigado.

Fotografia

Sorte de turista

(Atenção: este blog foi aposentado. No lugar dele, surgiu o Gabriel Quer Viajar. Vá lá. É muito mais bonito e tal.)

O que eu mais adoraria ver em uma viagem pela África do Sul: o ataque de uma leoa a um búfalo, bem de perto.

Leoa ataca búfalo em estrada na África do Sul

Sequência de fotos mostra a luta do búfalo pela sobrevivência; duelo entre os animais terminou em uma rodovia” (TerraTV)

Vem cá, grandão

Não vou te largar tão fácil

Para ver mais fotos (vale a pena), vá direto no Flickr do fotógrafo sortudo que registrou tudo.

Invejei muito ele e os turistas que aparecem nas fotos.

Fotografia

A Mongólia em Porto Alegre

(Atenção: este blog foi aposentado. No lugar dele, surgiu o Gabriel Quer Viajar. Vá lá. É muito mais bonito e tal.)

A semana começa com uma belíssima dica para quem mora em Porto Alegre, gosta de viajar, fotografar e aquela coisa toda: Egon Filter finalmente vai apresentar as fotos da sua viagem à Mongólia.

Serão duas oportunidades para ver as imagens e ouvir as histórias do cara.

A primeira é amanhã, terça, dia 20, no Brasas Chat. Como o nome indica, o lance é todo em inglês.

Mongolia em English

A segunda é na quinta-feira, dia 22, desta vez em português mesmo.

Mongólia in português

Ambos são no mesmo lugar, endereço e horário: Espaço STB Brasas - Anita Garibaldi, 1515 - 19h30. Reserve seu cantinho pelo telefone 4001 3010.

Eu estarei lá na quinta. E se tudo der certo, levarei meu avô, que certa vez me disse que a viagem que ele gostaria de ter feito era justamente para a Mongólia.

Guias

Programas de índio (ou não)

(Atenção: este blog foi aposentado. No lugar dele, surgiu o Gabriel Quer Viajar. Vá lá. É muito mais bonito e tal.)

Mim ter boa dica de viagem para homem branco

Listas de “lugares para não ir” sempre são polêmicas. Gostar ou não de uma atração, uma cidade ou um país é algo extremamente pessoal e influenciado por clima, época, companhia, humor, hotel, taxista, ônibus, voo, sono, dor de cabeça, dor de barriga e uma infinidade de fatores. Mesmo assim, tem gente que faz estas listas e acho até que elas servem para orientar o viajante, desde que ele não esqueça de que tudo que está ali pode ser errado.

O blog O Turista Razoável fez uma lista de 37 lugares que você não precisa conhecer antes de morrer. Veja a lista aqui embaixo (os parênteses são dele). Quem discordar ou quiser acrescentar outros, pode participar na área de comentários lá.

- Águas Calientes, Peru (depois de Machu Picchu, vale tudo. Ou quase, né?)

- Bruxelas (uma cidade cuja atração principal é uma estátua que faz xixi não pode ficar de fora)

- Cairo (o centro, é bom que se diga)

- Cancún (não dá para ficar num lugar onde é preciso atravessar um resort para chegar à praia)

- Chuí

- Cidade da Guatemala

- Cubatão

- Dallas

- Dirkou, Níger (exército na rua, prostitutas, caminhões apinhados de trabalhadores rumo à Líbia. Deu?)

- Emirados Árabes Unidos

- Filadélfia

- Gaza

- Haiti

- Ilhas Malvinas

- Iquique, Chile

- Itanhaém

- La Paz

- Leipzig (tem o túmulo do Bach e o café mais antigo da Europa. And…)

- Lima

- Mar del Plata (“Eu queria ser Punta del Este”)

- Maria Farinha

- Minneapolis (simpática, cheirosa, verde, qualidade de vida nota 10. E a alma de um disco do Richard Claydermann)

- New Jersey

- Oiapoque

- Panama City

- Papeete (de que vale ser capital do Taiti feinha desse jeito?)

- Paraguai

- Piauí

- Porto Seguro

- Rio das Ostras

- Roterdã

- Ruanda

- Sagres, Portugal (fim do mundo? É aqui)

- São José do Ribamar

- Suez

- Tijuana (ir de San Diego pra lá é mole; voltar…)

- Trinidad e Tobago

Já o respeitadíssimo The Times fez uma lista de 5 lugares que “não são isso tudo”.

- Stonehenge - Inglaterra

- Petra - Jordânia

- O Coliseu - Roma

- Machu Picchu - Peru

- Angkor - Camboja

Eu faria duas modificações neste grupo: retiraria Angkor Wat e colocaria a Torre Eiffel, que é linda de longe e de baixo, mas insuportável para quem se dispõe a subir seus andares.

Ou será que era eu que estava com dor de barriga?

Camboja

Tira o pé do chão

(Atenção: este blog foi aposentado. No lugar dele, surgiu o Gabriel Quer Viajar. Vá lá. É muito mais bonito e tal.)

Se você estiver com viagem marcada para o Camboja, ou se o país estiver nos seus planos, anote aí uma experiência que eu não consegui ter por lá e que me causa arrependimentos.

Certamente você vai dar uma passada em Siem Reap, né? Então não deixe, por nada neste mundo, de fazer um passeio aéreo sobre as ruínas khmer.

Você pode fazer isso de duas formas: de balão ou de helicóptero.

Vista do balão

O balão é estático, não se move sobre as ruínas. Sobe a 200 metros amarrado por um cabo, fica alguns minutos lá, de frente para Angkor Wat, e desce. Mesmo assim, tenho certeza de que é uma aventura maravilhosa, mas que infelizmente não fiz por falta de tempo. Recomendo mais: faça o passeio duas vezes. Uma pela manhã, com o sol nascendo atrás de Angkor Wat, outra no fim da tarde, com a luz atrás de você e batendo de frente em Angkor. Segundo o que eu pesquiser, custa aproximadamente 15 dólares por pessoa.

O helicóptero e Angkor

O helicóptero é muito mais caro, mas em compensação a emoção deve ser bem maior. A companhia Helicopters Cambodia cobra entre 90 e 300 dólares, para voos entre 8 e 30 minutos. Leva até 5 pessoas, incluindo o piloto, e você precisa de um número mínimo de passageiros para levantar voo. Tenho a impressão de que deve valer cada centavo.

Putz, vou ficar com muita inveja de você.